Olá nobres companheiros que vão ao bosque todos os dias recolher lenha! Aqui estou novamente, desta vez iniciando mais uma coluna renegada, a Epiquisidade Pura! (não fui eu quem inventou esse nome).
Eu poderia falar de muitas coisas alegres e épicas, como jogos, filmes, HQs e por aí vai. Mas escolhi começar com um assunto sério pra variar.

Acredito que todos estejam cientes dos recentes acontecimentos na zona norte de São Paulo, envolvendo um jovem de 13 anos e seus pais, ambos policiais militares. Resumidamente, por algum motivo ainda desconhecido pela mídia e (pouco provável) pela polícia, o jovem assassinou os pais a tiros e depois de algumas horas cometeu suicídio. Esse tipo de acontecimento sempre choca a sociedade. Convivemos diariamente com caso de violência contra idosos, crianças e animais, mas assassinar a sangue frio os próprios pais é algo impensável para todos. Quem não se lembra do caso Richthofen que chamou a atenção do país por muitas semanas, ou o famoso caso de Columbine em 1999 nos EUA. Estamos vendo algo bem parecido agora. Mas em meio a esta tragédia, e ao sofrimento da família e amigos, há um maldito abutre louco para se aproveitar do caso. Seu nome é Mídia Sensacionalista. Aproveitadores de primeira para conseguir audiência e fazer a cabeça dos que são facilmente influenciados pelo que se passa na TV. A notícia mal começou a ser divulgada, e já criavam teorias e mais teorias em cima do suposto assassino de 13 anos de idade. E o pior é que por falta de referencial muitos acabam acreditando e tomando como verdade absoluta tudo que é dito nesses programas.

hqdefault

Uma das teorias que mais tem chamado atenção sobre esse caso é de que o garoto foi influenciado por um dos games da franquia Assassin’s Creed. A jogatina excessiva com um assassino como personagem principal o teria inspirado a cometer este ato insano. Eu pergunto pra vocês: Quantas vezes já vimos este filme antes?

Não é a primeira vez e nem será a última que usam o videogame ou etc, para justificar um ato de violência ou insanidade. Já aconteceu antes com cardgames famosos, acontece constantemente com RPGs tanto Online quanto tradicional e já cansamos de ver acontecendo com os videogames (GTA, estou falando de você).

O que precisamos entender é: Vídeo Games não são a culpa de essas coisas acontecerem. As pessoas jogam para se divertir, distrair e se entreter. Vou citar um exemplo mais geral, de um caso que ocorreu em 2004. Uma jovem foi assassinada a facadas em uma cidadezinha do interior. Entre os pertences da jovem em sua casa, foram achados diversos livros de RPG. MANCHETE – “Jovem morta a facadas depois de ritual satânico. Parentes dizem que a jovem era aficcionada por RPG, um jogo onde se interpretam personagens como ladrões magos e demônios”. Eles adoram divulgar essas coisas, mas a real causa da morte dela nunca foi exposta. Poucas pessoas lembram que RPGs são jogos de interpretação que além de fazer bem para a mente e desenvolver capacidades estratégicas são um grande divertimento. Assim como os videogames, que já foram comprovados cientificamente como benéficos para uma série de coisas. (se puderem leiam o mestrado da nossa queridíssima Flavia Gasi. Trabalho Sensacional!)

Eu sinceramente acredito que se uma pessoa é influenciada por algum jogo essa pessoa tem uma mente muito fraca ou já possui algum problema que requer atenção médica. “Ah mas o garoto tinha apenas 13 anos! Uma criança pode ser influenciada sim pois não tem a mente formada!”. Para essa afirmação a resposta é muito simples. Veja o trailer abaixo:

Notaram alguma coisa? Seriam os gráficos magníficos? Não acho que o que chama a atenção neste caso é a tag +18 no início. Essa mesma informação se encontra na capa do jogo. Se uma criança tem acesso a jogos recomendados apenas para maiores, sinto informar, mas a culpa não é do jogo.
Desculpem a seriedade do assunto mas precisava falar sobre isso, tantas foram as barbaridades que ouvi na TV.
Ainda sonho com um mundo onde vão usar RPGs e outros games no ensino fundamental e no colegial (fica a dica PDC!)

ASSERIC