“Em 1961, Stan Lee ia pedir as contas. Ja completara 20 anos de Marvel, uma editora que vendia mal e que há pouco tempo tivera que demitir boa parte dos funcionários. Mas seu chefe, Martin Goodman, queria criações para manter a concorrêmcia em dia. Lee convocou Jack Kirby e Steve Ditko, seus artistas prediletos.

Foi daí que surgiram: Quarteto Fantástico, Homem-Aranha, Thor, Hulk, Homem de Ferro, X-Men, Demolidor, Vingadores…

… e o mais importante: um mundo fictício onde todos viviam em conjunto, no qual as aventuras de um personagem teriam influência direta sobre as histórias de outro. Estava criado o Universo Marvel.”

Vitrine_Postmarvel

Não consigo pensar em uma história tão épica quanto essa. Marvel Comics – A História Secreta conta quase TUDO e mais um pouco sobre a origem da casa das idéias. Desde a antiga Timely criada por Martin Goodman na década de 30, até a venda para a Disney em 2009. Mostra como um editor de livros e revistas Pulp viu que existia oportunidade no mundo dos gibis. E como seu sobrinho, um jovem de ser officeboy com o sonho escritor, virou o mega simbolo da Marvel Comics.

Titio Goodman
Titio Goodman

Sean Howe descreve a história como se tivesse vivido dentro da Timely, quando Goodman começou a engatinhar para seu “Império Editorial”. Seu trabalho de pesquisa foi impecável, pois toda a Biografia é repleta de detalhes interessantíssimos. Você acompanha a leitura de uma forma muito dinâmica. Vemos a trajetória da empresa como se ela fosse uma Mega Saga da Marvel, onde cada roteirista, desenhista, editor, surge como se fosse personagem de quadrinhos.

Ele mostra bastante, como a casa das idéias cresceu e se consolidou com sua característica principal, que é a de unificar as historias. O Universo Marvel, foi o que mais cativou o publico. Heróis como o Homem-Aranha, juntando forças com Quarteto Fantástico para enfrentar um inimigo em comum em meio a cidade de Nova York. Os problemas de cotidiano que muitos heróis enfrentavam faziam com que uma legião de leitores se identificasse com as histórias. Isso era algo quem nem a DC (que já era mais forte na época) tinha.

Essa caracteristica de deixar os personagens mais humanos, foi uma idéia genial de Stan Lee, que junto com grandes mestres dos quadrinhos, como Jack Kirby, criaram os personagens famosos que conhecemos hoje. Claro, senhor Lee também não foi o Super Visionário Nice Guy que muita gente acha. Claro que é complicado se prender a uma única coisa principalmente quando se começa a lidar mais com negócios, grana, din din. Mas realmente tiveram muitas injustiças durante todos estes anos. No livro vemos muitos dos problemas em que ele se envolveu, principalmente quando ele decidiu “tocar o foda-se”para os quadrinhos e resolveu se dedicar ao cinema.

Muitas das brigas foram por direitos autorais e royalties. Durante a leitura, senti muita raiva de Lee, que mesmo longe dos quadrinhos, queria sempre ter seu nome como criador de quase tudo, e isso muitas vezes fez ele ser odiado por alguns funcionários.

“Em vez de fingir que estava no comando, ele disse ‘Ah, devem ter feito quando eu estava viajando – Nunca que eu ia deixar isso acontecer’” – Gerry Conway  citando o que Stan disse ao público a respeito de “A morte de Gwen Stacy”, história que ele mesmo aprovou e que na época foi odiada pelos fãs. 

Jack Kirby e Steve Ditko foram muito atingidos. Justo os caras que deram vida aos principais personagens da Marvel passaram por maus bocados na editora. (Kirby ainda teve sua arte desrespeitada por um bando de “novos talentos” que julgavam seu trabalho ruim e datado).

Jack Kirby & Stanl Lee
Jack Kirby & Stanl Lee

É um ninho de cobras, a meu ver. Nada sobrevive num ninho de cobras. As cobras acabam se matando. Um dia eles vão acabar matando aquilo que foi a origem deles mesmos” – Jack Kirby sobre o mercado de Quadrinhos

O Livro inicialmente foca na fase criativa da Marvel, como trabalhavam os funcionários e como era o mágico mundo do famoso Bullpen. E depois fala bastante do momento business da empresa (compras de ações feitas por grandes companhias, acordos com  outras empresas), onde o que importava eram as vendas. Tudo isso passando por diversos problemas sociais da época ( a influencia dos movimentos feministas e ati-racismo tem um peso forte nesta historia).  E tudo isso foi muito importante para o crescimento da Marvel.

“Dá para fazer negros comprarem gibis sobre brancos, mas era difícil fazer brancos comprarem gibis nos quais o personagem principal era negro. E era ainda mais difícil fazer meninos comprarem gibis sobre mulheres” – Roy Thomas, editor chefe da Marvel falando sobre as dificuldades de atingir certos públicos.

E vale dizer também que a Marvel não foi salva somente por Super-Heróis.
E vale dizer também que a Marvel não foi salva somente por Super-Heróis.

Além de muitas histórias clássicas, o livro também mostra boa parte da fase atual da Marvel. Quando os personagens saíram das páginas dos quadrinhos para a TV, Cinema e outras mídias.

Nossa, tem tanta coisa nesse livro!! Não posso entrar em muitos detalhes, senão eu acabo transcrevendo o livro inteiro aqui no post XD. Sean Howe fez um grande almanaque histórico sobre a Marvel. Ele é bem completo, com diversas notas de rodapé do próprio autor com curiosidades que complementam o conteúdo (há também notas do tradutor, o que mostra como foi bem feita a adaptação do conteúdo para o povo tupiniquim, que não tem familiaridade com todos os aspectos da cultura americana).

Cheguei a duvidar se algumas coisas eram reais. Aposto que Sean deve ter passado por alguns apuros ao escrever algumas histórias, e não sei não mas, acho também que ele teve uma experiência ruim com Stan Lee em algum momento da vida! rsrsrs

Esqueçam suas tretas com a Marvel, DC boys and girls… Marvel Comics – A História Secreta da um ótimo panorama de como funciona o mundo dos quadrinhos (aquelas histórias que muitos ignorantes dizem que são feitas para crianças). E ele serve para todos. Os que sempre acompanharam os boletins sabem de muita coisa que foi escrita no livro, mas é claro que, muitas coisas de bastidores são novas. E os recém-amantes dos quadrinhos (tipo eu) vão ficar maravilhados ao ver como este universo é mais rico do que o normal e como a Marvel foi tão foda (mesmo com altas e baixas gigantescas) ao ponto de conseguir transformar o mercado de quadrinhos.

AN2

Acho que comecei o ano bem lendo esse livro. É uma leitura muito épica, eu recomendo bastante.

ASS

Sigam o Digão no twitter: @Digao_renegados