Vitrine_dzaaaaaaa

Salve seus bêbados!

Mais um sábado de ressaca, isso significa que a sexta feira foi produtiva, logo, hoje, não será tanto.

Vamos direto ao assunto, vocês já devem ter ouvido o termo “isso foi feito a mão por monges cegos do Tibete”, bom, quando o assunto é cerveja, algumas foram mesmo, não exatamente por monges CEGOS e nem do Tibete, mas foram feitas a mão e por monges. Quando eu digo isso, sempre vem a minha cabeça à imagem alguém vestido com um capuz estilo do Ezio, ou um Monge Shaolin fazendo cerveja. Mas, a realidade nunca é tão legal quanto a ficção, mais ainda sim é interessante e sempre da assunto pra papo de bar.

Miolo3

Os Monges Cervejeiros!

Existe isso? Claro!

E eles produzem as cervejas chamadas de Abadias, onde os estilos mais comuns são as Blonde, Dubbel e Tripel. Chamar uma cerveja de “Abadia” significa que ela foi feita em um monasterio onde vivem comunidades Cristãs, essas cervejas geralmente são a fonte de renda dos monges: parte eles bebem, parte eles vendem.

Cada monasterio tem sua história e sua receita, eu adoro imaginar os monges fazendo alquimia pra criar suas cervejas e etc, mas como a realidade é menos atraente que na ficção, eles produzem suas cervejas em pequenos laboratórios (não tão modernos) dentro dos mosteiros, e por lá mesmo que eles guardam para o processo de envelhecimento, fermentação e etc…

A ordem mais famosa de monges cervejeiros é a “Ordem Trapista”, existem 171 monasterios Trapistas pelo mundo mas hoje só sete produzem cerveja, um na Holanda (La Trape) e seis ficam na Bélgica (Achel, Chimay, Orval, Rochefort, Westmalle e Westvleteren). Todas essas cervejas vocês podem comprar em empórios no Brasil, com exceção da Westvleteren, uma curiosidade é que ela tem ganhado por alguns anos o título de “A Melhor Cerveja do Mundo”.

A Westvleteren é tão hipster que nem rótulo tem, só 3 cores de tampa, que definem seus estilos e nível alcoólico. A revenda dela é meio que proibida (ou pelo menos não é “aprovada”), pra comprar essa cerveja é um parto (e não é nem um pouco barato), pra começar é preciso ir para a Bélgica, então ligar para o mosteiro, marcar hora e dar sua placa do carro (sim, precisa ter um carro), quando chegar lá na hora marcada com o carro da placa correta, você tem direito a comprar no máximo uma caixa, e se não me engano só pode voltar ao mosteiro dentro de 15 dias. Tudo isso para comprar cerveja. (existem pessoas que comercializam clandestinamente na internet essa cerveja, eu já vi por uma média de R$ 180,00 a garrafa de 330ml)

As Cervejas Trapistas são extremamente alcoólicas e encorpadas, e isso tem um porquê, esses monges são vegetarianos, e eles usam a cerveja praticamente como fonte de alimento, para isso ela deve ser bastante nutritiva e encorpada quase um “pão liquido”. Também na época da Quaresma, os monges entram em um Jejum rigoroso, onde eles não podem comer NADA, mas para sorte deles, beber é outra história, beber pode a vontade, até mesmo para repor as calorias gastas durante o dia (mais ou menos como eu no carnaval).

São cervejas muito saborosas, se quiser pagar de entendedor, você pode dizer que são “cervejas mais complexas”. São feitas com muito cuidado e ingredientes selecionados, por isso não são muito baratas. Não é uma cerveja para refrescar, é uma cerveja que “alimenta”, e faz muito sucesso com as mulheres, pois são mais adocicadas. As mais escuras são puxadas para o caramelo e cacau, e as claras puxam para o frutado e cítrico (geralmente laranja).

Pra finalizar queria recomendar algumas coisas, se for tomar uma Dubbel escura, tome comendo uma trufa de chocolate, o recheio da trufa se transforma em uma espécie de licor, ou se quiser contrastar sabores, sorvete de creme fica supimpa! As Trapistas harmonizam muito bem com queijo Gorgonzola, o álcool da cerveja faz o queijo praticamente virar polenguinho na tua boca, é foda! #fikdik

Bom, foi isso, curtam, comentem, xinguem, corrijam, cuspam, bebam…

PROST!

ASS_DZA_NOVA