Vitrine_Post_nd_4

Ah sim meus amigos, na nossa procura eterna de respostas, vou me dispor a bater um papo com vocês hoje sobre o terrível ponteiro do tempo que nos tira um instante da vida a cada momento, porque embora seja uma pessoa que vejo o lado do copo cheio e amante dessa vida, tenho que admitir, quando as juntas reclamam, quando o folego cai e assistir futebol é mais prazeroso que joga-lo… Sim, estamos ficando velhos!

Quando menino, um dos meus personagens favoritos era o Peter Pan, obviamente os apelos deste pequeno eram irresistíveis a uma criança; voar, morar numa terra longínqua com seres mágicos e vilões cômicos trapalhões, poder brincar até com a própria sombra… Enfim uma infinidade de motivos, mas nenhum se comparava a poder ser criança eternamente.

Não precisava nem ser o Próprio Peter,eu seria fácil só mais um dos “Meninos Perdidos”, o fato era a brincadeira sem fim. Mas não deu jeito… Era só um desenho, crescer não era uma opção era uma lei, e nós estamos no grupo de seres que “calhou de morrer de velhice”, mas obviamente o desejo de isso não ocorrer ou ao menos poder ser retardado não estava implícito só a mim. Então a pergunta foi feita e a resposta buscada “Por que envelhecemos?”.

Primeira coisa que é interessante refletir é, nem todo organismo envelhece até morrer. Se pensarmos nos grupos mais simples do reino dos seres vivos teremos bactérias ( iiiih lá vem o PDC e as bactérias do mal dele…) além dos protistas mais simples e até fungos como o mofo que possuem reprodução assexuada, simplesmente multiplicando sua informação genética gerando assim seres com a mesma informação, estes seres não possuem exatamente uma morte datada, ligada a quanto tempo suas funções se manterão. Assim, podemos dizer que a morte por senescência (palavra bonita neah, use-a com moderação) começa a surgir com o aparecimento do sexo, é isso meus queridos, comemos do fruto proibido e por isso morreremos. Como diria Cumpade Washington

“ORDINÁÁÁÁRIA!!!”.

IMAG_Post_fruto

Em algum momento lá no passado alguns organismos desenvolveram (não que eles quisessem hein gente, lembrem-se que, se falou de evolução é tudo ao acaso) células germinativas ou especializadas em reprodução chamadas gametas, estas com metade da informação genética se unem com os gametas de outro indivíduo da mesma espécie e TAN-DAN, temos um novo habitante terreno sendo gerado. Você deve estar pensando, mas isso aí ajudou em que? Que merda! Quero viver forever and ever!!!! Isso foi muito benéfico em questões evolutivas, pois, aumenta a variabilidade genética e com isso aumenta a possibilidade de sobrevivência de um grupo caso seu ambiente mude.

A morte veio porque as outras células que não são mais geradoras de novos seres vão se focar em outras funções vitais e se dividir apenas para gerarem outras células que vão realizar a mesma função, elas vão realizando suas funções de boa, mas, esse processo a cada repetição vai acumulando falhas até que a célula vai ter tantos erros, que pode tacar o terror como no filme Dia de Fúria, se tornar um tumor e aplicar a Zoeira Sem Limites nesse organismo. Assim a morte programada meus caros em nível celular é a aposentadoria da célula que prestou bem seu trabalho, o que chamamos de Apoptose. Nem todas as células do nosso corpo seguem esse destino, algumas células como os neurônios podem ter sua longevidade estendida aos anos que o indivíduo viver, já células como a hemácia tem expectativa de vida de 4 meses, da pele cerca de 3 a 4 semanas, então existe troca sim, mas é um exagero dizer que você é renovado por completo.

Hoje sabemos que o carro chefe para as falhas que geram a necessidade de apoptose das células são a perda de informação dos telômeros. Ok, pra quem tá achando que telômeros são os maridos das chiforinfolas eu vou explicar, nosso DNA lá dentro da célula quando vai se dividir precisa se compactar se enrolando o máximo possível pra facilitar na divisão celular, o máximo da compactação deste, recebe o nome de cromossomo, que é aquela estrutura que você via na escola que a maioria parece um “X” feito de coc… lã.

IMAG_Post_cromossomo

Telômeros é nome das extremidades nos braços e nas pernas deste X, nesses pontos o código genético começa a ter um monte de informação repetida justamente pra proteger a importante e ele não quebrar ou grudar em outro cromossomo. A proteína que “copia”o código genético nessa divisão é a DNApolimerase, e quem auxilia ela nos telômeros adicionando essas sequencias que protegem a informação importante é a enzima telômerase. O problema é que a telômerase vai trabalhando cada vez menos, fazendo com que cada vez que a DNApolimerase faça uma cópia essa vá faltando mais um pedacinho dos telômeros.

E de pedacinho em pedacinho chegamos ao ponto que a coisa degringola. Recentemente as pesquisadoras Elizabeth Blackburn e Elissa S. Epel , verificaram em um estudo que mulheres que viveram com muito stress pela necessidade de cuidarem de filhos com necessidades especiais sozinhas tiveram um encurtamento muito mais acentuado dessas regiões do que pessoas não submetidas a tanto stress. Então amigos hominídeos a dica que eu dou é aproveite cada instante da vida, que cada momento bem vivido proporciona mais vida para você repeti-lo.

asspdc