VITRINEPEQUENA

Olá, sejam bem-vindos de volta (antes tarde do que nunca) ao PERFIL RENEGADO onde, a cada edição, vou trazer especialmente para você, um perfil detalhado de algum ícone da cultura pop e darei a minha visão sobre o mesmo. Certo, eu posso explicar melhor do que isso. É o seguinte…

Se você é nerd como eu e não gosta de cultura de superfície, está sempre buscando saber um pouco mais sobre tudo, não é mesmo? Pois bem, a proposta aqui é trazer a minha análise e reflexão sobre alguns perfis, sejam pessoas famosas, personagens fictícios ou personalidades históricas. Seguindo esta linha, trago também o máximo de curiosidades e fatos interessantes sobre cada perfil escolhido, mas como a postagem não pode ficar xigaaaante (vai ficar :P) e meu conhecimento é limitado, conto com você para somar conhecimento deixando um belo comentário =). Pode ser headshot, caso eu erre algo, ou pode acrescentar alguma coisa que eu deixei escapar, a brincadeira é exatamente aprendermos juntos.
Então chega de enrolação e vamos nessa o/.

bruce-lee-bruce-lee-32791998-1200-791

“Qualquer tipo de conhecimento conduz, ao final, ao conhecimento de si mesmo”.

Hoje a tarefa é em tese mais simples do que foi na estréia do quadro onde falei do polêmico Superman, pois ao contrário do Super esse Herói aqui é uma unanimidade! Porém quadrinhos é um assunto que eu domino mais que artes marciais, por isso o foco aqui é a filosofia por trás da arte.

Hoje vou falar sobre uma Lenda, sobre um ser de sabedoria e força ímpar, com enorme poder destrutivo, permeado de muitas façanhas mas também de muita falácia. Que assume várias formas e significados em cada visão de cultura… Não, não estou falando de um Dragão, pelo menos não literalmente, estou falando de um homem, “o homem” Bruce Lee. Muito se fala sobre esse que é de longe o maior ícone relacionado a artes marciais orientais, muitos feitos e façanhas são atribuídos a ele, algumas ultrapassando o que a gente tem como humanamente capaz, e é claro muita gente desacredita da maioria delas, os mais céticos mal acreditam que ele sabia lutar pra valer, acham que ele sabia fazer uns movimentos bonitos e só. Sem entrar no mérito do que é ou não verdade sobre Bruce, de uma coisa eu sei, o cara era Foda!

Mais do que um grande ator de ação, um revolucionário das artes marciais e também do cinema, sua filosofia de vida era linda. Lee nasceu nos Estados Unidos no que é considerado pelos Chineses a hora e o ano do Dragão (isso com certeza da margem pra muita coisa), mas foi levado ainda criança para Hong Kong, e lá cresceu com as boas condições que seus pais artistas da Ópera Chinesa proporcionaram. Seu pai ainda tinha um outro trabalho, o de ator, e isso fez com que o pequeno Lee fosse um fenômeno desde criança, atuando em vários filmes (Uma espécie de Macaulay Culkin Chinês).

Ele se tornou um adolescente um tanto quanto problemático, pois se metia em brigas de rua quase que diariamente. Como tudo tem limite (exceto a zueira) o Pai de Bruce acabou por mandá-lo de volta para os Estados Unidos após ele se meter com uma galera mais “barra pesada”. Acolhido por amigos da família ele passou a trabalhar num restaurante lavando pratos, mas não demorou muito para que descobrisse sua vocação, ensinar artes marciais. Desde pequeno Lee aprendeu com o Pai Tai Chi e Kung Fu ou no cantonês de Bruce Gung Fu, e com treze anos começou a treinar Wing Chun com o Grande Mestre Yip Man, o fato do Bruce não ser “100% Chines” pois seu avô Materno era Alemão fazia com que os alunos mais velhos se negassem a ensiná-lo, o que se tornou uma vantagem, pois o próprio mestre passou a treiná-lo. Não demorou muito para que Bruce chamasse a atenção da comunidade Chinesa, que se incomodava muito com o fato dele estar ensinando artes marciais para ocidentais, eles mandaram o campeão Wong Jack Man da China como desafiante com a seguinte proposta, se Lee perder para da dar aulas aos não chineses, e se vencer terá permissão para o mesmo. Bruce que nunca foi de correr de desafios acabou com o sujeito em três minutos, fazendo ele pedir rendição em chinês (nada mau não é mesmo?), mas aquilo não era o suficiente para ele, Lee diz que não deveria ter levado três minutos para derrotar o sujeito, mas sim alguns segundos, é ai que ele percebe que o estilo tradicional de Luta já não serve para ele, começa ai a busca dele pela plenitude, pela forma perfeita, começa ai o Jeet Kune Do.

bruce-lee-2732

“Para mim, a arte marcial consiste em expressar a mim mesmo honestamente, E isso é muito difícil”.

O Jeet Kune Do (Caminho do punho interceptor) é como Lee dizia o Estilo sem estilo, ao contrario do que muitos pregam não se ensina Jeet Kune Do, ou melhor não literalmente, como não se trata de um estilo não pode ser ensinado como tal, porém pode ser aprendido pois na sua forma filosófica, se você compreender sua essência, pode-se dizer que você o pratica!

Ta legal vou simplificar. Como eu disse antes Bruce percebeu a deficiência de sua arte ao enfrentar Wong Jack Man, e resolveu aperfeiçoar seu estilo se livrando dele, considerando a forma tradicional muito rígida e o estilo cristalizado Lee queria uma forma de combate mais fluida, flexível e eficiente. Passou a usar outros métodos de treinamento aumentando sua força, resistência e alongamento de forma quase sobrenatural, e mesclando os estilos tradicionais a fim de alcançar uma forma mais livre e adaptável a qualquer situação, podemos dizer que é o Jeet Kune Do é o Pai do MMA.

Como disse Dana White (Presidente do Ultimate Fighting Championchip) – A arte marcial evoluiu em dez anos mais que em dez mil anos por causa do Bruce.

Outra coisa que evoluiu por conta dele foi o cinema, a forma de se fazer filmes de artes marciais foi totalmente modificada pela ousadia de Bruce Lee. A coisa começou quando William Lee Dozier o convidou para uma audição após assistir uma de suas apresentações de artes marciais. Lee impressionou os produtores que o deram o papel de Kato ao lado de Van Williams na série de TV O Besouro Verde. A série teve curta duração de 66 a 67, ele fez pequenas aparições e papéis menores em outras séries e chegou a fazer ponta em um filme.

Bruce tinha uma ótima idéia para uma série chamada “A Warrior” uma historia de um Mestre de Kung Fu que se passaria no velho Oeste, entretanto a idéia foi adaptada e rebatizada de Kung Fu, e o papel do monge Shaolin do Velho Oeste, foi dado a David Carradine (o Bill do Tarantino) pelo medo de um herói chinês não agradar ao público. A Warner não deu nenhum credito a Lee.
Desanimado, endividado e fudido abatido Lee volta com sua família para Hong Kong, e para sua surpresa a série o Besouro Verde (o show de Kato na China) estava sendo exibida e era um baita sucesso, logo Bruce foi recebido como uma estrela e dali em diante assumindo sua posição de protagonista…

– The Big Boss (Dragão Chinês) 1971: O filme que o lançou ao estrelato, extremamente violento no corte original teve algumas cenas censuradas conforme o tempo, uma curiosidade interessante é que quando o filme terminou em sua estréia, o cinema estava em completo silêncio, Lee e a esposa estavam na sala e ele achou que a platéia odiou o filme, quando o casal tentava sair sorrateiramente começaram os gritos e aplausos, o filme foi ovacionado e a platéia colocou Lee sobre os ombros o tratando como Rei.

– Fist of Fury (A Fúria do Dragão) 1972: Nesse filme de vingança que deve fazer Tarantino suar pelos olhos, Lee vai atrás dos assassinos de seu mestre e acaba se envolvendo em conspirações ainda maiores. Com cenas de lutas fantásticas, esse filme tem tomadas que mostram que as coreografias violentas de Lee podem ser tão belas quanto uma apresentação de ballet. O filme termina com uma belíssima cena congelada de uma voadora contra a câmera, foi o primeiro filme que vi e desde então virei fã. Detalhe nosso querido Jackie Chan atuou como figurante (tem um vídeo bem legal dele falando disso).

– The Way of the Dragon (O Vôo do Dragão) 1973: Em Resumo uma das lutas mais memoraveis da historia do Cinema, Bruce Lee vs Chuck Norris, com um contexto politico nas entrelinhas Norris representa o Americano opressor, e Lee o Oriental libertador, e o embate entre os dois no Coliseu de Roma entrou para história. Dali em diante Bruce passou a pagar o preço da fama, chegou a dizer que não sabia mais em quem confiar.

– Enter the Dragon (Operação Dragão) 1973: Seu ultimo e maior filme, Operação Dragão foi o filme que lançou Bruce como astro Internacional, porém o mesmo infelizmente havia morrido três semanas antes da estréia, não podendo assim desfrutar da revolução que esse filme causou. Primeiro filme de Kung Fu a contar com um grande estúdio Hollywoodiano (Warner Bros). Esse é de longe o filme que mais carrega sua filosofia e eu aconselho que se você é novo no assunto mas se interessou depois de ler a coluna, comece por aqui.

– Game of Death (Jogo da Morte) 1974: Filme controverso, pois quando Lee morreu ainda não havia terminado as filmagens, o Diretor Robert Clouse (o mesmo de Operação Dragão), terminou as filmagens usando dublês, cenas de outros filmes entre outros artifícios, e acabou se mudando muito da intenção original que Lee tinha com o roteiro. Vale a pena ser visto pelas lutas em cada um dos cinco andares do Pagode, destaque para a luta de nunchaku contra Dan Inosanto no segundo andar e contra o gigante Kareem Abdul Jabbar no ultimo, onde ele mostra muito bem a essência do Jeet Kune Do. Tem também o famoso uniforme replicado por Beatrix Kiddo em Kill Bill.

– Trilogia O Grande Mestre: A historia de Yip Man é retratada muito bem nesses filmes. O filho mais velho de Yip Man, Ip Chun, aparece no longa caracterizando o personagem do mestre Leung Bik e também atua nos bastidores como o principal consultor do roteiro.

– I AM BRUCE LEE 2012: Documentário sobre a vida e principalmente sobre o legado de Lee, com inúmeros depoimentos de pessoas que estiveram ao lado dele em sua jornada e também de famosos admiradores que contam como a filosofia de Lee afetou suas vidas pessoais, é bem interessante ver como sua obra atinge cada um de maneira única, vale a pena ser visto.

Bom estamos chegando ao fim e pra variar faltou um bocado de coisas, curiosidades, filmes, séries, desenhos nossa Bruce Lee influenciou e influencia muita coisa até hoje, prova disso são os incontáveis personagens de videogames e de desenhos inspirados em sua pessoa (Fei Long/Street Fighter. Rock Lee/Naruto e a pintura do BumbleeBee dos Transformers só pra ilustrar). Espero ter no mínimo despertado o interesse para que você vá atrás de mais sobre esse que é uma das pessoas mais inspiradoras que já viveram, e lembre-se que toda discussão nos comentários é bem-vinda.

bruce_lee___ba_by_artalbores-d55dizd

“Você se considera chines ou americano? – Sou apenas um ser humano sob o céu somos uma única família, só aconteceu de as pessoas serem diferentes”

Considerações Finais: – A grandeza de Lee mora em sua filosofia, no famoso “discurso” Como Água ele diz: – “Esvazie sua mente. Não se coloque dentro de uma forma, sem contornos, como água. Se colocarmos a água num copo, ela se torna o copo; se você colocar água numa garrafa ela se torna a garrafa; você coloca em uma chaleira ela se torna a chaleira. A água pode fluir ou pode destruir. Seja água, meu amigo.”

Esses dizeres são de uma profundidade ímpar e podem ser aplicados a qualquer coisa da vida, Lee pregava que devemos nos adaptar, não devemos nos prender por regras e costumes obsoletos, mas sim nos expressar plena e honestamente, não é algo simples de se fazer mas ele mesmo mostrou que é possível! Historias como a de quando ele se lesionou e os médicos disseram que ele não mais faria o que ele mais amava na vida, e a forma que ele superou isso, espalhando folhas com os dizeres “Caminhe” em sua casa, e treinando um pouco todo dia, sempre que se desanimava lembrava-se “Caminhe” e assim o fazia, isso mostra como com força de vontade e determinação somos capazes de superar qualquer barreira.

Kung Fu significa na verdade qualquer tarefa feita com perfeição, e é isso que ele nos ensinou. Seja  lá o que quisermos ser podemos! seja lá o que quisermos fazer faremos! e de forma livre, completa e perfeita.

“A chave para a imortalidade é ter uma vida que mereça ser lembrada.”

Material de apoio:

– RapaduraCast 350 – Bruce Lee, a história do dragão mestre imortal

I AM BRUCE LEE

– Bruce Lee a Entrevista Perdida

Veja a coluna anterior: PR | KAL-EL UM PAPO SOBRE-HUMANO

Me siga no twitter @bruno_renegados e até a próxima…

assbrubsc