Capa

#AVANTE Renegados beleza?

E direto do FIQ em BH. Seja bem vindo a mais um Renegados on the Road, o último do ano (todos choram)… Olhe pelo lado bom, preparamos algo Epicamente, Fodamente, Sensacionalmente Emocionante pra você. Porque você sabe né, On the Road não é uma atração, é uma experiência!

Pra quem está acostumado com o modo Renegado “Zueira Sem Limites” esquece, eu sei que muitos vão dizer: “Eu gostava mais do RonR moleque”, “Preferia o RonR de várzea”, “Traiu o movimento”. Mas contudo, eu garanto que se você se deixar levar, vai sentir a mesma emoção que a gente sentiu, vai chorar como a gente chorou (na verdade só eu chorei :P). Vai ficar contente e empolgado com o que está por vir como a gente ficou!

Sendo o ultimo RonR de 2013, e sendo o evento que particularmente eu mais me emocionei, não poderia deixar passar como só mai um “role dos Renegados”, por isso resolvi fazer essa pequena coluna para pontuar algumas coisas.

Antes de tudo na minha assinatura aqui no blog (sim essa mesmo pode ler ai no final da postagem) diz Colecionador incurável de HQs, e sou mesmo, desde que me entendo por gente gosto de desenhar, ler quadrinhos e sempre fui encantado com o universo dos super-heróis, sou o tipo de cara que escreve uma coluna gigante sobre o Super-man e ainda acha que ficou faltando coisa importante. Pois bem, uma das coisas que sempre gostei de fazer é ir a feiras e festivais de quadrinhos, preços diferenciados, exposições de arte original e de vez em quando conhecer aquele cara que desenha um dos seus personagens preferidos é sempre algo divertido, e é claro que como qualquer outro nerd que consome quadrinhos eu cultivava o sonho de ir ao grandioso San Diego Comic-Con, eu disse cultivava!

Não que eu não queira mais ir a Comic-Con, é claro que eu quero! Eu só não tenho mais a necessidade de ir, pois por mais incrível que pareça (não deveria parecer incrível) um evento brasileiro supriu todas as expectativas que eu tinha de uma grande convenção de quadrinhos, tinha tudo que eu já estava acostumado em eventos menores como: cosplayers, preços camaradas, revistas raras, mas tinha algo a mais.

Além de um espaço bem distribuído, de tal forma que nunca vi tantos artistas independentes com suas obras tão bem divulgadas, e com inúmeras atrações nacionais e internacionais, onde pudemos conhecer ídolos como os brasileiros Mauricio de Sousa, o homenageado Laerte e o desenhista Ivan Reis (Lanterna Verde e Aquaman) tivemos também a chance de ver de perto o trabalhos internacionais como do Argentino Eduardo Risso (100 Balas) e da Lenda George Pérez (Os Novos Titãs, Mulher-Maravilha e Crise nas Infinitas Terras) que alias é a simpatia em pessoa, conhecer esses caras por si só já tornaria o FIQ 2013 o melhor evento da minha vida, mas não, eles queriam mais, eles queriam ir até a minha alma.

Foto 1

Eu me arrisco a dizer que todos que estão lendo essa coluna cresceram lendo Turma da Mônica, se não como diria o Cido você é um Herege! Eu como qualquer outra criança que se preze lia as aventuras da turma do bairro do Limoeiro como se não houvesse amanhã, e obviamente é uma das maiores marcas da minha infância, ao lado dos filmes da Disney. Quando encontrei o Titio Mauricio na sala VIP (Momento Osentação) fiquei mega emocionado, mal sabia o que dizer, o espírito de tiete fã falou mais alto e eu pedi uma foto, em seguida lembrei que sou blogueiro e podcaster e pedi para que ele entoasse nosso grito de guerra, que você pode conferir na entrada do RC #65 Especial FIQ. Foi muita emoção, e alguns minutos depois dele conversar com alguns figurões ele ainda nos cumprimentou com um aceno de mão dizendo: Até mais, e Avante, não é de chorar de emoção? E pensar que logo na sequência nos sentamos ao lado do gênio Laerte e pudemos bater um rápido bate-papo, meu Deus que sonho…

Poderia acabar por ai né? Mas não acabou. Por fim eu não posso deixar de relatar o momento que eu me senti fazendo parte da historia da cultura do País e cai aos prantos.

Um dos projetos mais bacanas dos últimos tempos nas Hqs tupiniquins foi o MSP 50 Artistas (Mauricio de Sousa por 50 Artistas), onde o Mestre é homenageado por Cinquenta anos de carreira, com historias com seus personagens pela visão de cinqüenta artistas diferentes, a coisa funcionou tão bem que fizeram o MSP + 50 e o MSP Novos 50. E essa coletânea serviu de vitrine para muitos iniciantes, ou aqueles veteranos que ainda não eram tão reconhecidos, mas a magia não parou por ai, Sidney Gusman o editor dos álbuns ainda tinha cartas na manga, e eis que surge os Graphic MSP, as graphic novels (novelas gráficas) baseadas nos personagens do Mauricio, dessa vez cada álbum com um único foco, seja ele um personagem solo como Astronauta ou uma equipe como a Turma da Mônica, e desse trabalho surgiram perolas inimagináveis, não vou me alongar falando de cada uma delas, mas sim do que aconteceu no auditório do FIQ 2013, mais especificamente na mesa com os artistas desse selo.

Sentir o que todos que estavam dentro daquele auditório sentiram vai ser meio difícil expressar em palavras, mas em resumo estava titio Mauricio, seu fiel escudeiro Sidão e todos os artistas dos Graphic MSP já lançados, num bate papo informal e muito divertido, Mauricio anunciou que o projeto é grande demais pra caber somente nos quadrinho e que em breve ele vai ganhar versões em outras mídias, isso já deixou todos num alto astral inacreditável, terreno perfeito para o Sidão soltar a bomba. Luzes apagadas telão aceso, era ora do show! Começamos a ver um a um os lindos teasers das próximas Graphic MSP, eram elas: Papa-Capim, por Marcela Godoy e Renato Guedes, Bidu, por Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho, Turma da Mata, por Greg Tocchini, Davi Calil e Artur Fujita; e Penadinho, por Paulo Crumbim e Cristina Eiko, o casal de Quadrinhos A2. (esse anuncio em particular me emocionou muito!). Nesse momento já eram lagrimas e abraços pra tudo que é lado quando de repente o Sidney pergunta: – Alguém aqui já assistiu Thor Dois? O que tinha depois da cena extra? E o PDC responde aos berros, outro gato OUTRO EXTRA!

E eis que surgem dois teasers animados do grande caralho (desculpem o vocabulário). Tivemos a honra de presenciar o momento em que Turma da Mônica novamente pelos irmãos Cafaggi, e Astronauta de novo por Danilo Beyruth e Cris Peter (a moça da trilha sonora com cores) iriam ganhar suas merecidas continuações, “Aguenta Coração”.

Foto 2

Aquele momento com certeza marca uma nova era no mercado nacional de Historias em Quadrinhos, como disse um grande artista Flávio Luiz que conhecemos lá, nunca foi tão justificável viver de quadrinhos no Brasil. E para um fã como eu é com muita felicidade e emoção que digo FIQ foi uma das, se não “A” melhor coisa que eu já participei, e um pouco do que foi passar por tudo isso tentamos expressar carinhosamente nesse ultimo Renegados on The Road direto de Belo Horizonte – Minas Gerais, mais especificamente no Festival Internacional de Quadrinhos. Espero que vocês gostem do resultado.

Agradecimentos Especiais:

Afonso Andrade que nos prorpocionou a entrada como imprensa e todo o respaldo necessário para a cobertura do evento. Ivan Freitas que nos apresentou ao evento e ajudou em tudo que pedimos. A todos que dividiram estadia com a gente em BH: Flávio Luiz, Rafael Roncato, Péricles Ianuch, Alan Guedes, Matheus Aguiar, Julia Balthazar, galera do Quadrimcast e lá no evento toda a assistência do pessoal do Terra Zero. Sidão, e todos os artistas MSP que foram mega simpáticos, e a todos artistas, expositores e convidados independentes ou não que nos deram toda a atenção, conversaram com a gente e cederam entrevistas… Valeu mesmo galera, mal posso esperar para a próxima oportunidade.

Visão do FIQ por PDC
Fotos do Evento
PodCast Especial FIQ

assbrubsc