Quem nunca, em sua mais tenra infância / aborrescência / adolescência, não assistiu os dilemas, amores, descobertas e a trilha sonora S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L que acompanhavam Kevin Arnold no subúrbio dos anos 1960 dos EUA?

E quem nunca torceu para que o amor prosperasse entre Kevin e Winnie?

Hey galera renegada paz e amor, tudo bem?

Anos Incríveis foi a primeira série que eu realmente amei. Exibida em meados dos anos 1990 na TV Cultura – ela foi transmitida originalmente entre 1988 e 1993 no canal norte-americano ABC –, eu acompanhava, todos os dias religiosamente, a grande aventura que era, para o menino Kevin Arnold, vivido pelo ator Fred Savage, crescer. Ao lado do seu fiel – e extremamente alérgico – melhor amigo Paul Pfeiffer (Josh Saviano) e de seu primeiro amor Winnie Cooper (Danica McKellar), Kevin era uma criança que crescia dentro de uma típica família norte-americana: havia o irmão mais velho e pentelho Wayne (Jason Hervey), a mãe amorosa e batalhadora Norma (Alley Mills), o chefe de família e pai Jack (Dan Lauria) e a irmã riponga e totalmente contra as leis duras da sociedade, Karen (Olivia d’Abo).

Anos Incríveis

Ok… Aparentemente, essa história parece não ter nada de especial. Mas tem!

Percebemos o ciclo da vida muito claro. Como lidar quando a vida nos cobra a perda da inocência e a busca por desafios que nos preparem para o mundo lá fora?

A vida de Kevin Arnold é, de repente, arrebatada para o ginásio (ou colégio na linguagem dos anos 2000), para o primeiro amor, para a necessidade de pertencer a algo. A perda da ingenuidade da infância é algo doloroso, mas que pode ser a melhor época da vida. Tudo isso é narrado por um Kevin Arnold mais velho (no mesmo esquema do Ted em How I Met Your Mother, saca?). As lembranças que eu tenho dessa época são das mais variadas: de momentos difíceis a sensações especiais e únicas, acompanhar Kevin em tudo isso é o que torna Anos Incríveis tão foda! E fazer parte e se reconhecer nisso só triplica tudo isso.

Anos Incríveis tem a capacidade de fazer em mim o que Clube dos Cinco ou As Vantagens de Ser Invísivel fazem: me relembrar que os sonhos da meninice podem continuar e que não preciso perder essa visão boa da vida.

Assistir essa série nos anos 1990 e assistir hoje me trouxeram emoções diferentes: antes, eu queria viver aquilo tudo; agora, em que já vivi a maioria daquilo tudo, sinto uma nostalgia gostosa… Quase me faz voar!

A melhor coisa da série, no entanto, não é a nostalgia ou a fofura do Kevin, mas é sim a TRILHA SONORA. Nenhuma outra série, até hoje, tem uma trilha sonora tão fantástica quanto Anos Incríveis. Duvida? Imagina uma abertura que já traz Joe Cocker na sua cara! No mínimo, muito respeito, né?!

 

A trilha sonora tem, além do mestre Joe Cocker, Beatles, Bob Dylan, Jonu Mitchell, Van Morrison, The Byrds, Jimi Hendrix, Steppenwolf, The Doors, Frank Sinatra, The Temptations, entre outros. Só fera! Caras, como não se apaixonar quando a música, em uma de suas melhores fases, se torna e faz parte da história? Por causa desse monte de artistas sensacionais, Anos Incríveis nunca teve um box de DVDs ou algo assim para ser vendido para os fãs. Até mesmo na Netflix gringa, onde todas as temporadas estão disponíveis, a série não era passada com a trilha sonora completa e os episódios eram transmitidos todos cortados. Afinal, imagina conseguir a licença de direitos autorais de mais de 300 artistas? Caro e muito complicado já que os produtores da série não se preocuparam muito com isso. A música é tão presente nos episódios que em todos eles tem uma que represente o assunto abordado. Tá na dúvida ainda se a trilha sonora de Anos Incríveis é a melhor ever? Então tá, ouve esse playlist que galera fez no Spotify da trilha sonora da série e deleite-se!

Outra coisa bem bacana é que podemos ver a História em curso através dos olhos de Kevin Arnold. Estamos nos anos 1960, na efervescência da cultura Paz e Amor, do sexo livre, da liberdade e independência da mulher, da quebra de paradigmas e do confronto de gerações conservadores com os jovens que anseiam por auto-expressão. Tudo isso, atrelado à trilha sonora que também faz parte da História, é o que torna Anos Incríveis tão especial: quem nunca quis viver nessa época?

Anos Incríveis
Montagem das principais personalidades e acontecimentos da década de 60

E você me pergunta: “Se não tem box de Anos Incríveis, como posso (re)assistir essa lindeza?”. Infelizmente, a série ainda não está disponível na Netflix Brasil e não passa mais na TV Cultura.

Anos Incríveis

Mas não fique triste amiguinho renegado, tenho uma boa notícia para você: Anos Incríveis vai ganhar um box com todos os 115 episódios, além de  15 horas de bônus – um total de 26 DVDs – mais dois livros com informações detalhadas da série. Em comemoração, o elenco de Anos Incríveis se reuniu para festejar e gravar os extras desse box lindo. Veja abaixo algumas fotos da reunião e a foto da caixa de DVDs que é uma das coisas mais lindas que eu já vi na vida!

Anos Incríveis

Anos Incríveis

Anos Incríveis

CARAAAAAAAAAAAAAAAAAS, ESSA É A MELHOR NOTÍCIA DO MUNDO EM TEMPOS! E o plus disso tudo: com a trilha sonora original!!!!!

Nem preciso comentar o quanto surtei com isso: imagina ter tudo isso em casa, ao alcance da prateleira? Mas se você não quiser esperar tanto, tem uns episódios perdidos no YouTube também.

Com a previsão de começar a ser vendida ainda esse ano nos EUA, ainda não sabemos quando essa relíquia cheia de amor e nostalgia chegará ao Brasil. Só nos resta torcer para que isso aconteça logo. Há público e os fãs exaltam para rever e se reconhecer em Kevin Arnold.

Não vejo a hora que apertar o play e começar a cantar: “What would you do if I sang out of tune / Would you stand up and walk out on me…”