SR #102 | OPERAÇÃO BIG HERO

Filme visto em: 06 de Dezembro de 2014 | Comic Con Experience

SINOPSE

Cidade de San Fransokyo, Estados Unidos. Hiro Hamada (voz de Ryan Potter) é um garoto prodígio que, aos 13 anos, criou um poderoso robô para participar de lutas clandestinas, onde tenta ganhar um bom dinheiro. Seu irmão, Tadashi (voz de Daniel Henney), deseja atraí-lo para algo mais útil e resolve levá-lo até o laboratório onde trabalha, que está repleto de invenções. Hiro conhece os amigos de Tadashi e logo se interessa em estudar ali. Para tanto ele precisa fazer a apresentação de uma grande invenção, de forma a convencer o professor Callahan (James Cromwell) a matriculá-lo. Entretanto, as coisas não saem como ele imaginava e Hiro, deprimido, encontra auxílio inesperado através do robô inflável Baymax (voz Scott Adsit), criado pelo irmão.

SR102BCRÍTICA RENEGADA

Avante renegados, belezinha?

Hoje invadi a Sessão Renegada para falar sobre a mais nova animação da Walt Disney Pictures: Operação Big Hero!

Bom, a não ser que você esteja vivendo em uma bolha, já deve ter notado a crescente popularização da cultura nerd nestes últimos anos. Muitos personagens de quadrinhos estão invadindo os cinemas e, hoje, tornaram-se heróis cultuados pelas galera, mesmo que sejam personagens lado B no mundo das HQs (vide o recente sucesso de Guardiões da Galáxia).

Agora, habitualmente, o nome Disney já move multidões aos cinemas e imagine se somarmos o fator Marvel, com uma pitada dos animes dos anos 90? Putz! É o paraíso dos nerds!! E é justamente o caso de de Operação Big Hero!

Big Hero 6 surgiu como uma série de quadrinhos da Marvel, escrita por Scott Lobdel com ilustrações de Gus Vasquez e a versão dos quadrinhos é beeeeeem diferente da versão do cinema. Nas telonas, podemos ver claramente o lado Disney de ser nos personagens, com traços mais infantis e carismáticos.

A história do filme se passa em San Fransokyo, uma mistura de São Francisco com Tóquio. Aqui, podemos contemplar as ladeiras da cidade americana e sua famosa Golden Gate Bridge com o visual colorido, brilhoso e tecnológico da cidade japonesa. Pode parecer meio confuso mas, acredite, ficou muito bonito.

Somos apresentados a Hiro Hamada, um garoto super inteligente mas que usa o seu talento para fins um tanto quanto errados. Ao ver a situação, seu irmão mais velho, Tadashi Hamada, resolver dar um incentivo ao garoto para que ele entre nos eixos. Para isso, o leva para um passeio no Instituto de Tecnologia de Fransokyo, uma espécie de universidade ultra nerd, com laboratórios gigantes e com alunos super dedicados, que saem por aí cortando, explodindo e construindo coisas.

E é aí que somos apresentados a Baymax, o projeto de agente de saúde pessoal desenvolvido por Tadashi. Meu, eu tive um ataque de fofura quando vi este robô, olha só pra ele, não dá vontade de apertar? <3 <3 <3

OPERACAO-BIG-HERO_site

Aliás, posso dizer que Baymax é o personagem mais puro do filme. Além das trapalhadas e o processo de aprendizagem do robô inflável, a amizade que ele constrói com Hiro é bastante parecida com a que vimos em O Gigante de Ferro, e é bastante cativante.

O desenrolar do filme traz o surgimento de um vilão e a necessidade de uma ação por parte do grupo de amigos de Hiro, bem ao estilo Avengers. O mais engraçado é que vemos claramente que nenhum deles é um super-herói, que nasceu para salvar o mundo. Muito pelo contrário, eles são bastante atrapalhados mas, com uma empolgação que somente aquele nerd que sonha em ter superpoderes, saem construindo armaduras e apetrechos para combater o mal.

Vale ressaltar que, no decorrer do filme, podemos ver várias referências à cultura pop, com direito até a uma participação especial (não vou dizer aqui para não estragar a experiência, mas tenho certeza que você vai dar risada quando ver quem é).

Por fim, Operação Big Hero é um ótimo filme para assistir com a família. Com um humor cativante, prepare-se para dar boas risadas com as trapalhadas de Baymax em um filme com cenas de luta que são bastante empolgantes e uma animação que está impecável, na qualidade Disney de cinema. Confesso que o filme me surpreendeu bastante, dando aquela sensação bacana de sair do cinema sendo uma criança novamente, querendo construir robôs e sair voando para salvar a cidade.

Ah! Deixo aqui o alerta de que, como todo filme da Marvel, temos uma cena pós créditos, que é bastante divertida e vale a pena ser vista também.

NOTA: icon_pubjoe_clapicon_pubjoe_clapicon_pubjoe_clapicon_pubjoe_clap

Direção: Chris Williams, Don Hall
Elenco (EUA): Ryan Potter, Scott Adsit, Génesis Rodríguez, T.J. Miller, Damon Wayans, Maya Rudolph, Jamie Chung, James Cromwell, Alan Tudyk, Daniel Henney, Stan Lee
Elenco (BRA): Robson Kumode, Márcio Araújo, Fiorella Mattheis, Marcos Mion, Robson Nunes, Kéfera Buchmann
Roteiro: Don Hall, Jordan Roberts
Produção: Roy Conli
Trilha Sonora: Henry Jackman
Gênero: Animação
País: Estados Unidos
Duração: 105 min
Ano: 2014
Estúdio: Walt Disney Animation Studios
Classificação: Livre

Não se esqueçam de compartilharem e comentarem suas impressões e expectativas do filme aqui nos comentários! Até mais!

  • cido

    NHOOOOOOOOOOOOOOOOO…..RS