Olá amantes de games! Estou dando início hoje a mais nova atração renegada, o X1, onde falaremos um pouco sobre nossas experiências com os jogos desta geração (e se o universo permitir, em breve, da próxima também).

Hoje venho a vocês falar de minha mais recente experiência gamística: Remember Me

Depois do magnífico lançamento de Last Of Us que os críticos da atualidade afirmam ser o fechamento de ouro desta atual geração de consoles (dê uma olhada melhor na Digo-lhes só aqui no Renegados XD) , minha renegada opinião era de que se algo fosse lançado depois deveria ser no mínimo tão bom quanto. Remeber Me apareceu com belas propagandas, trailers convidativos e a promessa de uma história interessante. Creio que este quesito foi atendido tranquilamente. Esse quesito…

Remember Me nos leva a um universo onde toda a humanidade é viciada e dependente da poderosa tecnologia SENSEN, uma espécie de mecanismo que digitaliza as memórias da pessoa. Imagine poder controlar o seu fluxo de memórias, apagando o que você quiser, escolhendo uma lembrança e a colocando em sua cabeça,compartilhando com outras pessoas determinados pensamentos e ver o mundo todo interagindo de maneira digital e interativa com o seu cérebro. É isso que essa tecnologia nos proporciona. Magnífico não? Nem tanto… A empresa por traz disso tudo, a Memorize acaba controlando o mundo graças a isso. E sempre que surge um império, surge também uma resistência. Os Erroristas lutam contra esse controle utilizando de habilidades e equipamentos para manipular as memórias alheias. Nossa protagonista Nilin é uma caçadora de memórias muito habilidosa que por algum motivo é capturada e tem suas memórias apagadas. A trajetória de Nilin durante o jogo consiste em seguir as ordens do obscuro líder dos erroristas, Edge e tentar a todo custo recuperar as suas memórias para entender sua ligação com a Memorize e com os Erroristas. Isso tudo em um futuro distópico ambientado na cidade de Neo-Paris no ano de 2084.

Remember-Me-game-city-art (1)

O Enredo do jogo é de fato interessante. A ideia por traz da fantasia remete a velhas críticas sobre o poder de um governo sobre o povo e até onde um ser humano chega por causa de seus vícios. A mensagem é clara e a história apesar de simples e na minha concepção, curta, foi bem desenvolvida para o formato de um game.

O sistema de combate do jogo é um dos mais interessantes que vi nesta geração. Nele você pode montar o seu combo, escolhendo o golpe e sequencia dele em uma fôrma pré estabelecida. Conforme você evolui, novos tipos de golpes com funções especiais como regeneração e recuperação de Foco vão aparecendo para incrementar suas sequencias. Os cenários do jogo são bons o suficiente para fazer com que você pare no meio do caminho só para admira-los. Mas nem só de bons golpes e cenários vive um bom jogo não é? Remember Me peca em aspectos muito básicos para um jogo lançado no fim de uma geração. A jogabilidade torna tudo muito difícil uma vez que a movimentação da protagonista pelas ruas de Neo Paris requer cuidado e precisão. Infelizmente o jogo não te fornece isso e acaba frustrando um pouco em determinadas partes. A movimentação da câmera também não é fácil, tendo que muitas vezes ajusta-la manualmente durante a luta ou durante momentos em que você com certeza não terá tempo de fazer isso.

remember-me-portugus-br-pc-game-lancamento_MLB-F-4595947057_072013

A Unreal, Engine Gráfica utilizada no desenvolvimento desse jogo acabou pecando também na produção dos personagens durante as partes jogáveis. Creio que a maioria concorda que de 2005 pra cá, nos acostumamos com CGs belos, e gráficos de jogabilidade tão belos quanto. Infelizmente não é isso que temos aqui. Muitos podem falar – Deixa de ser purista seu Graphic Bitch! – A minha resposta é: Jogue Resident Evil, God of War, Halo ou Splinter Cell. Vai entender do que estou falando.

Pra encerrar, posso dizer que Remember Me é uma boa história e seria provavelmente um bom filme, mas a Capcom deveria ter investido um pouco mais em seu desenvolvimento, tendo em vista os grandiosos trabalhos na história desta produtora. Vale a Pena Jogar? Vale pela boa história e originalidade do roteiro. Se tiver paciência para passar pelo desafio da jogabilidade verá que a história compensará.

Remember Me
Data: Junho de 2013
Produção: Dontnod Entertainment
Publicação: CAPCOM
Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360 e Microsoft Windows

ASSERIC